O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou neste domingo (10) que é preciso “escangalhar” uma das mulheres suspeitas de vazarem a prova de redação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ele ainda revelou que, “talvez”, a outra mulher suspeita seja inocente.

No sábado, a Polícia Federal apreendeu fez busca e apreensão contra endereços de duas mulheres do Ceará, que aplicaram o exame e que são suspeitas de fotografarem a prova de redação, realizada no domingo passado. O documento foi parar na internet durante a tarde da realização das provas. Ambas as suspeitas tiveram seus telefones celulares apreendidos.

Segundo uma fonte da PF ouvida pelo UOL, as duas ainda não foram intimadas a depor. Os investigadores querem aguardar a perícia nos celulares das duas. A previsão é que os depoimentos sejam tomados nesta semana, de acordo com essa fonte.

Em entrevista coletiva na noite de hoje, o ministro da Educação fez questão de separar a conduta das duas mulheres. “Essas duas ou, ainda, talvez uma seja inocente, ainda a gente… por isso que a gente está…”, iniciou Weintraub. “Tem uma que é realmente culpada”, continuou. “Tem uma pessoa no Ceará… essa pessoa, sim, a gente tem que escangalhar a vida dela. O que ela tentou fazer é terrorismo.”

Ele também disse que a atuação poderia ter sido feita por uma pessoa “militante” tentando “sabotar” o Enem. “Não foi piada, não foi gracinha, foi sabotagem”, prosseguiu.

“Agora, a polícia vai cuidar disso, não sou eu que cuido disso. Mas, aparentemente, eu diria que foi para causar um mal estar para a sociedade e desacreditar esse trabalho lindo que foi feito. São cinco milhões de famílias envolvidas; no dia do exame vem uma pessoa militante para tentar desacreditar esse exame e gerar um mal estar para a população inteira. Quinhentas mil pessoas trabalhando o ano todo, seriamente, para fazer o Enem e vem uma militante para fazer traquizomba.”

O ministro foi questionado para esclarecer o motivo da possibilidade de uma das mulheres ser inocente, mas ele preferiu não dar detalhes disso. “Não, não falei isso. Pelo menos uma é culpada. Ponto.” A partir daí, o ministro se negou a responder a perguntas sobre as investigações que ele havia comentado antes e, irritado, não permitiu que mais questionamentos fossem feitos.

Na noite deste domingo, a assessoria da Polícia Federal disse ao UOL que não comentaria o caso. Afirmou, apenas, que a investigação continua.

Apesar do incidente com o vazamento de provas, Weintraub disse que o saldo do exame é positivo. “Agora, tirando isso, mesmo com essas pessoas, o Enem foi um enorme sucesso.”

Ao todo, 747 foram eliminados do exame

Dentre os 5,1 milhões de inscritos, 747 foram eliminados das provas por cometerem irregularidades, sendo 371 neste domingo. Para o ministro, não houve danos à realização das provas, mas todas essas pessoas serão punidas por violarem as regras.

“Tem punição, tem que mostrar que tem consequência”, afirmou Weintraub. “A pessoa não vai fazer exame e fica na ficha corrida dela o resto da vida. Se ela virar um artesão de epóxi, eu vou fazer um cachimbo de epóxi, não vai ter consequência nenhuma, mas se for arrumar um emprego qualquer na vida, vai ter que explicar o maravilhoso comportamento, aqui eu estou sendo irônico, o comportamento abjeto que teve hoje. Impacto para sociedade nenhum.”

Weintraub citou um rapaz de 18 anos que saiu com provas antes do horário permitido. O caso já foi registrado pela polícia. O ministro disse que o fato também não gerou danos, mas que ele será punido. Ele destacou que, como era maior de idade, não poderia ser chamado de jovem, mas de “homem adulto” por ser responsável por seus atos.

Fonte Oficial: UOL Educação.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Melhores Escolas.

Comentários